Receba nosso FEED gratuitamente em seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Há 50 anos, o homem ainda não tinha ido à Lua, mas já poderia imaginar como seria quando fosse.

Isso porque, dois visionários, o cineasta Stanley Kubrick (1928 — 1999) e …

… o escritor Arthur C. Clarke (1917 — 2008) tiveram a genialidade de criar uma narrativa em que, com tons fortemente realísticos, o ser humano, entre outros feitos, chegava ao satélite natural da terra.

De fato, a visão de Kubrick não difere muito da realidade, que depois se descortinou.

Sem qualquer dúvida, 2001: Uma odisseia no espaço (em inglês 2001: A Space Odyssey) revolucionou de forma significativa o cinema não só pelos efeitos visuais que contem, mas também pelo tom filosófico e desafiador da narrativa, bem como, pela riqueza da produção assinada por Kubrick, diretor de outros clássicos, como “O iluminado” e “Laranja Mecânica”.

Em 2018 a produção completa 50 anos. Depois de cinco décadas, o clássico de Kubrick permanece instigante, aberto a várias interpretações e influenciando novas produções de ficção científica.
Cabe entretanto lembrar que a aceitação desta produção não foi imediata. Talvez pela complexidade, talvez pela inovação, alguns críticos, como Renata Adler, do The New York Times, e Judith Crist, da New Yorker, chamaram o longa de monótono, sem imaginação e pretensioso.

Na premier de 2001 (03 de abril de 1968, nos Estados Unidos e 29 de abril de 1968, no Brasil), metade do público deixou o cinema no meio da sessão sem entender do que se tratava o filme e perdida com as referências visuais e filosóficas da obra de Kubrick. Conta-se que, entre os que deixaram o cinema estava o ator Rock Hudson, que teria dito: “De que diabos trata esse filme?”.

(Carimbo Comemorativo)

Mas não demorou muito para a visão sobre o longa metragem mudar. A exuberância e a profundidade influenciou praticamente todas as obras de ficção científica espaciais que vieram depois. George Lucas, pouco antes do lançamento de Star Wars, chegou a falar sobre a grandeza de 2001 em uma entrevista. Eis:

“Stanley Kubrick fez o filme de ficção científica final, e vai ser muito difícil para alguém vir e fazer algo melhor, tanto que estou preocupado. Em um nível técnico, Star Wars pode ser comparado, mas, pessoalmente, eu acho que 2001 é muito superior.”

O roteiro de 2001 foi inspirado em um conto de Arthur C. Clarke chamado “O sentinela”. O escritor contou como ele e Kubrick chegaram à escolha do texto que deu base ao filme. “Stanley disse:

“Eu quero fazer um bom filme de ficção científica”.

Então, passamos por todos os meus contos para ver o que daria um bom filme. Nós paramos em cerca de seis”, disse em entrevista ao The New York Times. Na sequência arrematou:

“Uma por uma, nós jogamos fora as histórias. Eventualmente, ficamos em apenas duas delas. Uma era O sentinela e o outro era Encontro no amanhecer, na qual uma nave espacial aterrissa antes que o homem existisse e os viajantes encontrassem os macacos humanos. Nós iríamos originalmente chamar o filme de How the solar system was won (Como o sistema solar foi ganho, em tradução literal)”.

Difícil e incompreensível são alguns dos adjetivos que parte do público costuma dedicar a 2001 ao vê-lo pela primeira vez. Arthur C. Clarke chegou a afirmar que:

“Se alguém entender isso na primeira visualização, falhamos em nossa intenção”.

Kubrick entretanto discorda fortemente da com a frase do escritor. Em entrevista concedida à revista Playboy americana sobre o longa afirmou:

“A própria natureza da experiência visual em 2001 é dar ao espectador uma reação instantânea e visceral que não exige — e não deve exigir — amplificação adicional”.

O diretor se recusava a tentar explicar qual o sentido do filme justamente por acreditar que 2001 se trata de uma experiência não verbal. Assim observa:

“De duas horas e 19 minutos de filme, há apenas um pouco menos de 40 minutos de diálogo. Eu tentei criar uma experiência visual, que ultrapassa a classificação verbalizada e penetra diretamente no subconsciente com um conteúdo emocional e filosófico.”

2001 deveria ser, para o diretor, entendido como música, sem precisar de maiores detalhes além da própria obra. Para Kubrick:

“… explicar uma sinfonia de Beethoven seria enfraquecê-la”.

Conhecendo o autor:
Mantenedor do Portal do Filatelista Temático
CARLOS DALMIRO SILVA SOARES é atuante filatelista temático (hobby pelo qual é apaixonado desde a infância), jurado FEBRAF, palestrante filatélico, bem como, coordenador da comissão para juventude da Federação Brasileira de Filatelia (FEBRAF), representando o país nas correlatas existentes na FIAF e na FIP. Coleciona os seguintes temas: petróleo, energia nuclear, terremoto, Lenim, Centauros e Orixás.

All rights reserved.

In case of using any material, a reference to “Topical Philately” is mandatory!

The stamp designs themselves are properties of the respective countries’ postal agencies, as well as, all other trademarks and copyrights on this page are property of their respective owners.

Topical Philately é uma página não comercial e não oficial de divulgação da Filatelia Temática. É uma página aberta à filatelia no mundo. Este espaço também é seu. Colabore.


Topical Philately is a non commercial and non official home page to publish the Topical Philately. It is an international home page opened to the philately. This coin is also yours. We expect your collaboration.


Topical Philately est une page non commerciale et non officielle pour montrer la philatélie thématique. Elle est aussi une page ouverte à la philatélie internationale. Cet espace est aussi à vous. Nous attendons votre collaboration.

(c) Home page da Topical Philately – Divulgado na Rede a partir 01/VIII/2008.

(c) Petroleum: The Black Gold – Divulgado na Rede a partir 05/X/1996

(c) Nuclear Energy – Divulgado na Rede a partir 05/X/2007

(c) Earthquake – Divulgado na Rede a partir 21/IX/2009

(c) For Teacher  – Divulgado na Rede a partir 04/I/2011

(c) Bee – Divulgado na Rede a partir 22/IV/2012

(c) Lenin – Divulgado na Rede a partir 06/VI/2012

(c) Centauro – Divulgado na Rede a partir 17/IV/2013

(c) Filatelia Juvenil – Divulgado na Rede a partir 21/II/2014

(c) Matriusca – Divulgado na Rede a partir 08/IX/2015

Jan 1, 1970
>> Leia mais no Portal do Filatelista Temático <<
Jan 1, 1970
>> Leia mais no Portal do Filatelista Temático <<
Jan 1, 1970
>> Leia mais no Portal do Filatelista Temático <<
×
Mantenedor do Portal do Filatelista Temático
CARLOS DALMIRO SILVA SOARES é atuante filatelista temático (hobby pelo qual é apaixonado desde a infância), jurado FEBRAF, palestrante filatélico, bem como, coordenador da comissão para juventude da Federação Brasileira de Filatelia (FEBRAF), representando o país nas correlatas existentes na FIAF e na FIP. Coleciona os seguintes temas: petróleo, energia nuclear, terremoto, Lenim, Centauros e Orixás.
Esse artigo foi útil?

Obrigado Seu feedback ajuda-nos a melhor os serviços do Portal do Filatelista Temático!


Like
Like Love Haha Wow Sad Angry