Receba nosso FEED gratuitamente em seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

 

O tempo avança e com ele uma antiga pergunta volta e meia surge no cenário de nossas vidas: Quem veio antes, o ovo ou a galinha?
Acredito que não há muito que pensar a respeito, considerando as muitas possibilidades ofertadas à origem de todas as espécies que habitam o nosso planeta. Nós mesmos vivemos procurando uma resposta ideal para nossas origens em meio às tantas perguntas que já fizemos e que continuamos a fazer, mesmo diante da nossa vã racionalidade.

Pois bem; na história do selo postal é claro e evidente que o selo veio muito depois das cartas e dos primeiros serviços de correios que se tem notícia. A verdade é que desde os primórdios da sociedade humana já se sentiu a necessidade da comunicação e as mensagens e os mensageiros certamente que foram precursores de tudo o que nós vivenciamos hoje, neste século 21 onde a tecnologia nos empurra a todo instante para novidades inimagináveis em outras épocas.

Também não se sabe ao certo quem foram os primeiros professores escolares, considerando-se que muito antes deles, os professores eram aqueles que tinham suas experiências em determinados campos da existência e que precisavam passar esses conhecimentos aos mais novos.
Não vou me aprofundar nisso tudo por razões obvias, mas me valho disso para exaltar a figura do professor ao longo do tempo afinal, sempre foi e continua a ser, através do mestre, que todos nós seguimos nossas jornadas aprendendo cada vez mais e contribuindo assim para um mundo melhor. Se bem que apesar disso tudo, eu acredito que o mundo deveria ser muitas e muitas vezes bem melhor do que se apresenta diante dos nossos olhos.

Eu recordo que nos meus tempos de primário, a máximo que se tinha eram figurinhas recortadas de revistas e depois, com o surgimento de alguns álbuns, a gente seguia aprendendo com as ilustrações que contavam um pouco sobre a história do país, da ciência, dos animais entre outros. Nós nem tínhamos idéia de que aqueles selos que vinham nos envelopes das cartas possuíam uma função muito maior do que a simples postagem. Na verdade mesmo, nós nem entendíamos pra que serviam aqueles fragmentos recobertos de carimbos.

Faltava na sala de aula um professor que tivesse a visão mais ampla ou aprofundada para levar o assunto até nós e quem sabe, tivesse isto ocorrido, teríamos muito mais filatelistas por este Brasil afora. Mas não podemos culpar ninguém sobre isto, já que a ideia de conciliar o selo postal como objeto pedagógico é muito recente e infelizmente, em nosso país, a idéia simplesmente engatinha, ainda que os Correios estejam, há alguns anos, promovendo ações neste sentido e levando a muitas escolas o selo postal para que as crianças tomem conhecimento sobre esta fantástica arte de colecionar.

Ao longo desses 30 anos de jornalismo filatélico, muitas vezes dediquei linhas para falar sobre a importância de se levar o selo postal para a sala de aula e obtive alguns bons resultados quando soube que minha página era usada em salas de aulas de algumas escolas do interior do Estado. A essas professoras que aderiram à ideia, o meu respeito e os meus mais sinceros agradecimentos.

Hoje, o meu objetivo é exaltar a figura do professor pela passagem de mais uma data em sua homenagem e, ao mesmo tempo, tornar a insistir para que os professores busquem informações sobre a filatelia e o selo postal de maneira que, aos poucos, possam interagir com seus alunos neste sentido.

O selo postal tem sim a sua função de postar as cartas, mas ele ultrapassa essa pequena fronteira e adquire como num toque de magia, o poder de nos enriquecer culturalmente, ocupando também uma função de mestre, ainda que na forma de fragmentos multicoloridos que apresentam passagens da nossa história, que exaltam personagens importantes para o nosso desenvolvimento nas mais diversas áreas, que alertam para os cuidados com a preservação da natureza e que, acima de tudo, contam essas histórias através de ilustrações muitas vezes criadas por artistas de renome e consequentemente, exaltam a importância das artes em nossas vidas.

O selo postal como pequeno professor é algo inquestionável e eu tenho absoluta certeza de que este pequeno professor na sala de aula será sempre um magnífico auxiliar para o aprendizado com motivação, dedicação, organização, bom senso, estética e acima de tudo, com objetivos plenos de uma vida regrada na educação e assim, com futuros cidadãos imbuídos em promover o bem estar comum.
Neste dia 15 de outubro, quando celebramos o Dia do Professor, o nosso carinhoso abraço a todos os Mestres sem que se esqueça desse pequenino professor que viaja nos envelopes levando em poucas palavras e numa interessante ilustração, a sua poderosa mensagem de cultura e entretenimento.

(FONTE: http://jornaldocolecionador.blogspot.com.br/2009/10/meu-pequeno-professor-de-papel.html)

Diversos artigos assinados por especialistas que refletem sobre a filatelia temática, suas regras e elementos. Estes trabalhos foram publicados em revistas e outras fontes especializadas. Sua republicação aqui no Portal do Filatelista Temático é feita com a indicação dos devidos créditos que são nominados em cada postagem.

Vejamos alguns colaboradores deste Blog:

Luiz Paulo Rodrigues Cunha, de saudosa memória, um amigo ímpar e um filatelista temático respeitável, proprietário das coleções: MAN UNDER WATER, Topical Philately e SUN, SEA, SURF AND SAND – THE DISCOVERY OF THE BEACH.

José Ángel Gándara Rodriguez, um ativo expositor espanhol, profundo conhecedor do regulamento filatélico temático e proprietário da coleção: COLÓN RUMBO A LAS INDIAS.

×
Diversos artigos assinados por especialistas que refletem sobre a filatelia temática, suas regras e elementos. Estes trabalhos foram publicados em revistas e outras fontes especializadas. Sua republicação aqui no Portal do Filatelista Temático é feita com a indicação dos devidos créditos que são nominados em cada postagem.
Esse artigo foi útil?

Obrigado Seu feedback ajuda-nos a melhor os serviços do Portal do Filatelista Temático!